23/05/2019 Ainda dá tempo de quitar IPVA de carros 5 e 6 com desconto
Iniciativa é coordenada pela Sefaz, por meio da Auditoria Geral do Estado. Implantado em agosto de 2018, o Programa inicia seu segundo ciclo com a adesão de PGE, SDR, Secom e Secult, além da própria Sefaz.

Lançado em 2018 com o objetivo de identificar, mensurar e tratar riscos em processos relacionados às atividades-fim nas unidades do Poder Executivo Estadual, o Programa de Gestão de Riscos (PGR) inicia o seu segundo ciclo com a adesão de cinco órgãos. A iniciativa, que é coordenada pela Secretaria da Fazenda (Sefaz-Ba) por meio da Auditoria Geral do Estado (AGE), foi instituída na Bahia com a publicação da Portaria Sefaz nº 162, de agosto de 2018. De acordo com a AGE, a gestão de riscos é hoje uma ferramenta reconhecida como boa prática de aperfeiçoamento da gestão, cuja adoção vem sendo recomendada pelos órgãos de controle.

Participam de forma voluntária do segundo ciclo do PGR as Secretarias de Comunicação Social (Secom), Desenvolvimento Rural (SDR), de Cultura (Secult) e a Procuradoria Geral do Estado (PGE), além da própria Sefaz-Ba. Após uma reunião preliminar com a equipe da AGE, os servidores desses órgãos indicados para implantar a iniciativa em suas unidades participaram de duas capacitações, uma sobre Mapeamento de Processos, com duração de 16 horas, e outra sobre Gestão de Riscos, com carga horária de 20 horas. “Encerrada a fase de capacitação partiremos agora para a fase de execução do programa em cada unidade, com a AGE atuando como consultora no processo, fortalecendo assim o papel de atuação preventiva do controle interno”, afirma Luis Augusto Rocha, auditor Geral do Estado.

Conforme explica Luis Augusto Rocha, para participar do PGR a unidade interessada deve encaminhar formalmente uma manifestação de interesse para a AGE, que será parceira do órgão na execução do Programa. “Na Bahia, por enquanto, essa participação ocorre de maneira voluntária, mas a tendência é que no futuro aconteça por uma obrigação legal, como já funciona em outros Estados e na União. A gestão de riscos é uma ferramenta muito importante porque ajuda o gestor a antecipar os problemas e a se preparar para enfrentá-los da melhor maneira possível”, diz.

Implantação e funcionamento

Na Bahia, o PGR foi disciplinado pela Portaria Sefaz nº 162/2018 e pela Orientação Técnica AGE nº 01/2019, inspiradas na Norma ABNT NBR ISO 31000:2018, que estabelece princípios e diretrizes para a implantação da gestão de riscos. Participaram desse primeiro ciclo as Secretarias da Saúde (Sesab), da Educação (SEC) e de Infraestrutura (Seinfra). Após os treinamentos e a identificação dos macroprocessos a serem trabalhados, as equipes das unidades, com o apoio técnico da AGE, elaboraram o plano de ação com o mapeamento dos riscos e a definição das medidas de controle interno a serem adotadas para tentar mitigar esses riscos.

“A AGE participa do desenvolvimento de cada etapa até a finalização do ciclo, com a elaboração do plano de ação. A partir daí, o nosso papel passa a ser de supervisão técnica. Além disso, a Auditoria Geral do Estado atua provendo as capacitações necessárias, elaborando e divulgando as orientações técnicas e manuais, avaliando os produtos desenvolvidos em cada etapa e monitorando o desenvolvimento geral do Programa”, explica Aberto Queiroz, gerente de Controle Preventivo e Transparência da AGE/Sefaz-Ba.

Para adequado funcionamento do Programa em cada órgão, a Auditoria Geral do Estado recomenda a criação de duas estruturas, uma estratégica e outra operacional. A primeira é o Comitê de Gestão Riscos (CGR), a ser implantado via portaria, e que deve ser composto por três servidores: o gestor da Coordenação de Controle Interno (CCI), que o coordenará, um representante da Assessoria de Planejamento e Gestão (APG) e um da assessoria do dirigente máximo do órgão. Além disso, deverão ser constituídos Grupos de Trabalho (GTs), também por meio de portaria, que serão compostos por servidores que conheçam o macroprocesso objeto do PGR.

De acordo com Alberto Queiroz, a unidade aderente deve escolher como foco do Programa, preferencialmente, um macroprocesso finalístico, ou seja, que esteja relacionado com sua atividade-fim. O tempo de execução do PGR, até a elaboração do plano de ação, é de cerca de três meses, período que pode variar de acordo com a disponibilidade dos servidores da CGR e dos GTs. “O PGR constitui-se em um elemento essencial para a boa governança, pois contribui para reduzir as incertezas que envolvem a definição da estratégia e dos objetivos das organizações públicas e, por conseguinte, o alcance de resultados em benefício da sociedade”, ressalta o auditor Geral do Estado, Luis Augusto Rocha.

Confira o perfil da Sefaz no Twitter, curta a gente no Facebook e siga o perfil @notapremiadabahia no Instagram.

   

  • 24/05/2019 Com 89,3 milhões de documentos emitidos, NFC-e atinge recorde em abril
  • 23/05/2019 Ainda dá tempo de quitar IPVA de carros 5 e 6 com desconto
  • 21/05/2019 Compras até 31 de maio concorrem ao próximo sorteio da Nota Premiada
  • 17/05/2019 Confira as datas de vencimento do IPVA durante o mês de maio
  • 15/05/2019 Sai lista dos dez ganhadores de maio da Nota Premiada Bahia
  • ..

  • Receita Federal arrecadou R$139.030 milhões em abril
  • Receita Federal e Polícia Rodoviária Federal deflagram Operação Xangai em Poços de Caldas
  • Receita anuncia amanhã (23/5) o resultado da arrecadação de abril de 2019
  • Em operação conjunta, Receita Federal e Polícia Federal localizam mais de 500 kg de cocaína em carga de exportação no Porto de Santos
  • Receita Federal, Polícia Federal e Controladoria Geral da União deflagram Operação Desvia
  • ..

  • Nota de Falecimento
  • Curso Perícias Judiciais com 10% de desconto para profissionais registrados no CRCBA
  • CRCBA promoveu reunião com representantes de entidades parceiras
  • VII Encontro da Mulher Contabilista do Extremo Sul da Bahia – Eunápolis (30/05/2019)
  • Curso Lucro Real x Lucro Presumido – Santo Antônio de Jesus (24/05/2019)
  • ..

  • Press Clipping FENACON
  • SESCAP LONDRINA promove o 4º Bolo Tributário
  • FENACON participa de debates sobre as propostas de reforma tributária
  • SESCON-MS realiza curso "Tributação de Pessoas Jurídicas"
  • Negócios em Pauta em Lajeado
  • ..

  • Idosos e deficientes beneficiários do BPC precisam se registrar no Cadastro Único
  • Nova Previdência será tema da 6ª Semana Nacional de Educação Financeira
  • Nova Previdência tem potencial para incluir mais de 3 milhões de idosos no BPC
  • Marinho: Nova Previdência torna sistema mais equilibrado e acaba com injustiças
  • Governo lança a campanha ‘Nova Previdência. Pode Perguntar’
  • ..

  • Quais os tipos de notas fiscais existentes e quando tirá-las?
  • CRIPTOMOEDAS: Como a Receita Federal pode cruzar os dados dos Investidores
  • Recolhimento do ISS Uniprofissional no Rio de Janeiro
  • Comprar carteira de clientes para contabilidade: vale a pena?
  • Registro de Empresa Simples de crédito - agora já dá!
  • ..
    NOTÍCIAS

    FOTOS




    ALGUNS DOS NOSSOS CLIENTES...

    Conheça nossa Equipe

    • DJALMA ALVES DA SILVA
    • LUCAS DE ALMEIDA SILVA
    • RAFAEL DA SILVA MURICY
    • CICERO RIBEIRO DE ALMEIDA NETO

    INFORMAÇÕES



    COMO CHEGAR
    Veja mais...

    Visitas (103045), Online agora (2)
    Astecol Assessoria Contábil LTDA
    Praça Austricliano de Carvalho nº 50 - Centro
    Senhor do Bonfim, BA, CEP: 44790-000 - (74) 3541.3507/3794

    WebMaster e Design: Isomi Luiz da Silva